Skip to content

ÓCULOS

julho 24, 2017

oculosTomara que essa merda estabilize o pânico.

Mas o que a porra do pânico tem a ver com isso?
É o estômago que está doendo.

Então eu devia estar dizendo: “Tomara que essa merda estabilize meu estômago.”

E não meu pânico.

Afinal, quem quer viver com seu pânico “estabilizado”?

Se a porra do pânico está estabilizado, isso quer dizer que ele – o pânico – está lá, dentro de mim, dentro de você.

Sempre, 24 horas por dia.

Todos os dias.

Por que alguém tomaria algumas cápsulas (tomei quatro, lembro agora) para
“estabilizar” o pânico, em vez de tentar livrar-se dele?

Mas bem que eu posso ter tomado, por engano, ansiolíticos para tentar controlar uma dor no estômago.

Isso tornaria a coisa meio assustadora.

Como posso estar em dúvida se tomei as quatro cápsulas para controlar a dor no estômago ou para “estabilizar” o pânico?

Talvez trocar a palavra “estômago” por “pânico” seja uma daquelas coisas que as pessoas chamam de lapso freudiano.

Você, sem raciocinar, diz o que realmente queria dizer, em vez do que tinha
pensado em dizer.

A partir desse ponto, pode complicar mais um pouco, já que isso pode significar uma porrada de coisas.

É certo que seu estômago pode doer tanto que você entra em pânico, achando que vai morrer ou coisa perto disso.

É certo também que seu pânico pode deixar seu estômago em frangalhos, até
mesmo te dar uma úlcera de presente.

Não sei pra você, mas pra mim esses pensamentos todos só tornam tudo mais confuso ainda.

Melhor ir até a prateleira do armário do banheiro checar que merda de remédio eu tomei – e pra que exatamente ele serve.

Os frascos – cerca de dez, com quase a mesma cor e tamanho – estão meio
misturados, por isso sempre ponho os óculos pra conseguir ler os rótulos.

Eu estava de óculos quando peguei as cápsulas e tomei?

Não lembro. Mas tenho certeza de que agora estou sem óculos e não consigo ler os rótulos dos frascos a minha frente.

Se não me engano, a bula do medicamento para o estômago dizia que era pra
tomar duas cápsulas “em caso de crise aguda”.

Eu sempre tomei três ou quatro, pra “reforçar” o efeito.

Só que, se não me falha a memória, a bula do ansiolítico recomenda a mesma
dosagem para a mesma situação.

Não tem jeito, preciso da droga dos óculos pra ler os rótulos.
E onde estão eles?

Dou uma geral nas superfícies dos móveis da sala. Vou até a cozinha e o quarto.

Sem óculos à vista.

Volto ao banheiro e aos rótulos ilegíveis dos frascos na prateleira.

Começo a sentir coisas estranhas no corpo.

Cobras rastejam na minha cabeça e ratinhos de laboratório chapados
começam a arranhar as paredes do meu estômago.

Agora parece que, a qualquer momento, os ratinhos vão conseguir abrir um túnel no meu estômago e subir pra minha garganta, pra comer minha língua.

O estômago dói, a garganta dói, as cobras estão cada vez mais agitadas na
cabeça, minha língua está inchando.

Foda-se!

Preciso tomar alguma merda qualquer.

Seja lá o que eu tomei antes, não o fez efeito desejado.

Estou com dor de estômago e em pânico.

download

Se isto não é uma crise, não sei mais o que é crise.

Olha, sinto muito por envolver você nessa história toda.

 

Não era minha intenção.

Mas já que você está aqui, será que podia me ajudar a encontrar os óculos?

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: